“Man is a genius when he is dreaming.”
Carta endereçada ao rabino Nilton Bonder

Caro Rabino Nilton Bonder,

Sei que estou em falta em mandar uma resposta assim que recebi seu e-mail receptivo ao meu chamado.  Agora não vem a caso o porquê de minha demora.  Gostaria de escrever ao rabino de alma e coração abertos pois me sinto perdida, triste, desolada por ser judia. Na verdade, uma judia não praticante.  Já que a história de parte de minha família judia, data da perseguição europeia aos judeus na época da alemanha nazista e meu avô nunca quis ensinar seus filhos e por consequente, seus netos os ritos, cultura judaica, que seja. Me considero uma judia de sangue( esse termo me irrita, na verdade) e uma pessoa que decidiu não seguir o judaísmo e seus dogmas e não viver a paralisação diante do sofrimentos dos outros.

Sim. O que quero dizer com isso?  Quero dizer que por ser brasileira, ter nascido nessa terna por obra de fatos conjecturais, sinto uma imensa vergonha da comunidade judaica brasileira e seu silenciamento quanto as atrocidades cometidas por Israel.  Um estado judeu em que judeus de todo mundo, até os que não nasceram naquele pedaço terra juram aliança e proteger  ” a terra dos seus antepassados”.  Só eu vejo algo de muito errado nessa afirmação?  Será que os palestinos devem pagar e como estão pagando a 66 anos por um genocídio que não foi praticado por eles?  Somos mais especiais por sermos judeus, por termos “sangue judeu” do que outros povos que tb viveram e vivem semelhantes suplícios?

Sinto uma raiva descomunal e muita tristeza por ao falar o que penso ser tratada como uma pária da comunidade judaica, por ser trada como uma pessoa que odeia seu próprio povo, uma pessoa que odeia a si mesma, enfim, uma pessoa que propaga o ódio.  Pois é isso o que me comentam.  Não só a mim mas outros judeus brasileiros que possuem coragem de ir contra a maré.  Esse dias uma judia brasileira ao descrever suas impressões sobre as atrocidades cometida na Palestina e Israel pelo governo israelense foi execrada, xingada, disseram até que ela não era judia, mas hj em dia sabemos que ser judeu não é mais ter nascido de um útero judeu, não é mesmo? e foi ameaçada  de morte por pessoas que se mostravam judias, a juventude judaica brasileira.  E eu me pergunto: Isso é certo?

Será que devemos viver com medo do que falamos em nossos próprios redutos?  Devemos ficar calado e seguir a cartilha do bom judeu, aquele que um dia almeja a “terra santa”?   Por que eu como judia devo seguir Israel cegamente? Judeus são um grupos de pessoas diversas, com  background completamente diferente um do outro. Por que eu devo adora Israel?  Pq se diz um estado judeu que veio para salvar todos os judeus do mundo de perseguição?  Mas a que preço?  A custa da vida e inocentes, rabinos?

Por que não há um repúdio nesse quesito por vcs aqui no Brasil?  Eu tenho vergonha, desculpe-me dizer, da comunidade judaica brasileira. VERGONHA! Por ser passível e apoiar o genocídio, apartheid, punição coletiva de um outro povo que vive naquelas terras a tanto tempo ou mais que os judeus que vieram do Brooklyn, da ex URSS, de países europeus e do Brasil.

Precisava tirar isso do meu peito. O seu livro alma imoral deixa muitas questões paralelas a essa. Então eu pergunto: Por que te calas?

hkubra:

Has anybody ever called for the mass murder of you, your family, your people?

Has that threat ever held a true gravity, a legacy of massacres or invasions or mass rapes behind it, daily bombings and tortures and assaults?

Have you ever wondered, while walking on the street, that you might be…

muslimarc:

African American Islam in the Modern Era

East of the Sun (West of the Moon): Islam, the Ahmadis and African America
http://www.columbia.edu/cu/ccbh/souls/vol3no3/vol3num3art4.pdf

A Brief Look at the Roots and Development of the Nation of Islam
http://www.renaissance.com.pk/janrefl99.html

valsalvamaneuver:

browngirlslovefassy:

Michael Fassbender, James McAvoy & Hugh Jackman Doing A Litting Dancing On The Graham Norton Show

IT’S A DANCING DREAM!!

superduperfitblr:

kendrawcandraw:

Stop sexualizing my body stop shaming my body stop policing my body

holy shit this is perfect. spread this like wildfire!

Gay marriage?
Anonymous
sonofbaldwin:

Facebook is at it again.No critical examinations of whiteness or race allowed!

sonofbaldwin:

Facebook is at it again.

No critical examinations of whiteness or race allowed!

Captain Phillips - A Review by a Somali

slycivilian:

This is taken from one of my many Facebook rants.

Every single Somali that I know that has been too see Captain Phillips thought it was a comedy. I went to see it last night with Sacha, Miski and Samafilan. A friend of mine wrote on the film a couple of months ago, and I’d urge you all to read her article first. 

I have also decided to use gifs. I think they’re quite a good aid for illustrating points.

Read More

hijab-wearitright:

"GLORIOUS MOORS" by Fitri Aulia.